DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT) >
FCT Departamentos >
FCT: Departamento de Física >
FCT: DF - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/4921

Title: Minimização do ruído em imagens de mamografia por emissão de positrões através da optimização do tempo de aquisição e do tamanho de voxel
Authors: Mota, Ana Margarida Pires de Almeida
Advisor: Almeida, Pedro
Matela, Nuno
Keywords: Mamografia por emissão de positrões
Optimização do tamanho do voxel
Correcção do decaimento radioactivo
Issue Date: 2010
Publisher: Faculdade de Ciências e Tecnologia
Abstract: As principais etapas na gestão do cancro são o diagnóstico, estádio em que se encontra e avaliação e monitorização do tratamento. A Medicina Nuclear desempenha um importante papel em todos eles. De entre os procedimentos de diagnóstico e terapêutica, esta técnica é a única que oferece a possibilidade de analisar quantitativamente o comportamento dos tecidos, in vivo. A Medicina Nuclear utiliza moléculas biológicas marcadas radioactivamente, denominadas de radiofármacos (radionuclido + fármaco), para estudar os mecanismos moleculares e fisiológicos presentes, tendo por isso uma enorme importância em Oncologia. A Tomografia por Emissão de Positrões (PET, Positron Emission Tomography) é uma técnica de imagem de Medicina Nuclear que fornece informação acerca da distribuição de um radiofármaco, previamente injectado no corpo do paciente. A tecnologia PET dedicada à imagiologia da mama denomina-se Mamografia por Emissão de Positrões (PEM, Positron Emission Mammography). Actualmente, existem vários projectos em desenvolvimento no âmbito desta técnica, sendo o projecto Clear-PEM, a decorrer em Portugal, um deles. Após a aquisição dos dados do paciente, estes têm de ser reconstruídos e corrigidos para originar a imagem final utilizada em ambiente clínico. Este trabalho consiste no estudo de alguns dos parâmetros que influenciam a quantificação dessa imagem. Com a finalidade de determinar qual o tamanho de voxel que permite um melhor equilíbrio entre a resolução espacial e a Razão Sinal – Ruído nas imagens foram reconstruídas, com diferentes tamanhos de voxel, imagens de um fantoma que simula várias lesões numa mama e de fontes pontuais de radiação. Após análise de diversos tamanhos de voxel, chegou-se à conclusão que a melhor opção a utilizar no futuro corresponde a dimensões de 2,0x2,0x1,3 mm3. Por outro lado, para compensar a baixa estatística por voxel, foram também avaliados diferentes tempos de aquisição. Isto porque, tempos de aquisição muito longos podem levar a diferenças significativas de actividade medida nos tecidos, entre a primeira e a última aquisição do exame, que devem ser corrigidas. Deste modo, foi estudada a viabilidade da aplicação destas correcções. Com base nestas análises, a qualidade das imagens reconstruídas foi melhorada, aumentando o potencial de detecção de lesões de dimensões muito reduzidas com este equipamento. Seria interessante, de futuro, estudar o efeito da variação do tamanho de voxel na direcção axial e implementar um método que permita compensar as diferenças de actividade entre os diferentes eventos registados para cada aquisição de um exame, quando assim se justificar.
Description: Dissertação apresentada na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa para obtenção do grau de Mestre em Engenharia Biomédica
URI: http://hdl.handle.net/10362/4921
Appears in Collections:FCT: DF - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Mota_2010.pdf2.24 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
View Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Statistics  - Feedback
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE