DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) >
FCSH Departamentos >
FCSH: Departamento de Estudos Portugueses >
FCSH: DEPOR - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/4640

Título: A recepção do realismo mágico na literatura portuguesa contemporânea
Autor: Branco, Isabel Rute Araújo
Orientador: Abreu, Maria Fernanda
Issue Date: May-2008
Editora: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Resumo: O género fantástico foi, ao longo dos anos, objecto de inúmeras definições e considerações. No entanto, Tzvetan Todorov ocupa sem dúvida um lugar fundamental na sua teorização, com Introduction à la littérature fantastique, extensa obra dedicada ao tema, publicada em 1970. Seguindo a definição de Todorov, o fantástico é um género que se caracteriza por uma «percepção particular de acontecimentos estranhos»15, que se fundamenta numa hesitação do leitor em relação à natureza desses factos. O leitor em geral identifica-se com o protagonista e faz sempre uma leitura que recusa tanto a interpretação alegórica como a poética. O sobrenatural surge da linguagem, tornando-se um símbolo desta. O narrador é participante e normalmente o protagonista, um duplo estatuto que lhe confere posições diferentes: o discurso como narrador não tem de ser submetido à prova de verdade, enquanto o discurso como personagem pode ser mentiroso. «Se o acontecimento sobrenatural nos fosse contado por um narrador desse tipo [narrador não participante] estaríamos imediatamente no maravilhoso; mas haveria possibilidade, com efeito, de duvidar de suas palavras; mas o fantástico [...] exige a dúvida16.» Além disso, é «quem conta» que permite a identificação do leitor com a personagem. Ao mesmo tempo, este narrador deve ser um «homem médio», precisamente para permitir esse reconhecimento. Mas que funções tem o fantástico? Socialmente, permite «franquear certos limites inacessíveis quando a ele não se recorre»17, abordando temas que normalmente são alvo de censura externa e interna, como o incesto.
Descrição: Dissertação apresentada por Isabel Rute Araújo Branco à Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa para obtenção do grau de Mestre em Estudos Portugueses, área de Literatura Comparada.
URI: http://hdl.handle.net/10362/4640
Appears in Collections:FCSH: DEPOR - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
A RECEPÇÃO DO REALISMO MÁGICO NA LITERATURA PORTUGUESA CONTEMPORÂNEA (Isabel Araújo Branco).pdf922,74 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Feedback
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE