DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) >
FCSH Departamentos >
FCSH: Departamento de Ciências da Educação >
FCSH: DCE - Teses de Doutoramento >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/4414

Título: A educação para a maternidade nas revistas de educação familiar no último meio século
Autor: Vilhena, Carla Isabel Franco da Cruz Cardoso
Orientador: Candeias, António
Palavras-chave: educação para a maternidade
revistas de educação familiar
análise de discurso
peritos da infância
Issue Date: Mar-2010
Editora: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa
Resumo: Uma das consequências da emergência de técnicas de governação da população, inerentes ao projecto de modernidade, é a criação de dispositivos de educação para a maternidade, cuja principal finalidade é a normalização das condutas maternais. Concebidas como um dispositivo de educação maternal, as revistas de educação familiar são utilizadas pelas elites sociais e políticas como veículos de disseminação dos preceitos científicos de geração, criação e educação das crianças, e pelas mães, que procuram encontrar, através da sua leitura, solução para as questões que surgem quotidianamente no exercício da função maternal. A caracterização e análise dos discursos publicados em revistas de educação familiar, em dois períodos de tempo distintos, 1º Período: 1945 a 1958 e 2º Período: 1994 a 2007, constitui o grande objectivo desta tese. Optou-se por uma abordagem metodológica de natureza qualitativa, a análise crítica do discurso, uma vez que se parte do princípio de que a maternidade é uma realidade socialmente construída através dos discursos produzidos por diferentes actores sociais. Este estudo permitiu-nos verificar que os discursos sobre as concepções e as práticas da maternidade são profundamente influenciados pelo contexto histórico em que ocorrem, designadamente pelas condições sociais em que vivem mulheres e crianças, assim como pelos desenvolvimentos nas ciências da infância, designadamente na pediatra e na psicologia do desenvolvimento. Permitiu-nos ainda perceber que a mãe é considerada, em ambos os períodos de tempo, a principal responsável pela criação e educação das crianças, embora se verifique, no 2º Período: 1994 a 2007, um movimento no sentido da co-responsabilização da mãe e do pai pela prestação quotidiana dos cuidados aos filhos, ou seja, da coparentalidade.
Descrição: Tese apresentada para cumprimento dos requisitos necessários à obtenção do grau de Doutor em Ciências da Educação, especialidade de Educação e Desenvolvimento.
URI: http://hdl.handle.net/10362/4414
Appears in Collections:FCSH: DCE - Teses de Doutoramento

Files in This Item:

File Description SizeFormat
carlavilhena.pdf2,82 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Feedback
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia