DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT) >
FCT Departamentos >
FCT: Departamento de Física >
FCT: DF - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/4206

Título: Interacções medicamentosas e definição de modelo de controlo de risco
Autor: Barros, Rui Luís Freixo
Orientador: Jesus, Adelaide
Janela, Filipe
Palavras-chave: Interacções medicamentos
Reacções adversas ao medicamento
Prescrição electrónica
Impacto dos medicamentos
Issue Date: 2010
Editora: Faculdade de Ciências e Tecnologia
Resumo: A polifarmácia é comummente utilizada na prática clínica e está directamente relacionada com as reacções adversas aos medicamentos. O objectivo deste trabalho foca-se na avaliação e definição de um modelo de controlo de risco associado à prescrição médica, tendo em consideração a potencial ocorrência de fenómenos de interacções medicamentosas. Para tal é necessário investigar diferentes classificações / terminologias para escolher a informação apropriada às interacções medicamentosas, permitindo evitar diferentes interacções medicamentosas logo no acto da prescrição, potenciando a diminuição do risco logo no início do ciclo de prescrição do medicamento. A abordagem inicial do presente estudo é compreender o que é uma interacção medicamentosa e os seus diferentes tipos. O passo seguinte é identificar as denominações comuns, as classificações farmacoterapêuticas, as classificações e terminologias de doenças e as bases de dados de interacções medicamentosas utilizadas em diferentes locais do mundo. Após a selecção da base de dados de interacções medicamentosas é feita a ligação entre esta a os softwares de prescrição e processo clínico electrónico da Siemens. No final do projecto é estudado o impacto socioeconómico das interacções medicamentosas em Portugal. Em função do trabalho realizado verificou-se que as bases de dados de interacções medicamentosas necessitam de identificar o medicamento, através da denominação comum (INN) ou da classificação farmacoterapêutica (ATC) e de identificar e codificar as doenças, através das classificações de doenças (ICD). A NDDF e a MedicineOne® são as bases de dados de interacções medicamentosas recomendadas, porque tem a capacidade de identificar vários tipos de interacções medicamentosas. Após a selecção das bases de dados de interacções medicamentosas são desenvolvidos métodos de implementação destas bases de dados nos softwares da Siemens. E estima-se que as ferramentas desta natureza em softwares de prescrição electrónica possam potencialmente prevenir várias lesões graves ou mesmo mortes e custos associados a estas. A selecção da(s) base(s) de dados mais adequada para este projecto está dependente de vários factores, como o idioma ou as classificações recomendadas pelos sistemas nacionais de saúde. De acordo com esses factores a NDDF e a MedicineOne® são as bases de dados com maior potencial para associar a um software de prescrição em Portugal. Com estas bases de dados de interacções medicamentosas o número de reacções adversas ao medicamento é susceptível de diminuir, como é apresentado neste estudo de impacto socioeconómico de interacções medicamentosas em Portugal.
Descrição: Dissertação apresentada na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa para obtenção do grau de Mestrado Integrado em Engenharia Biomédica
URI: http://hdl.handle.net/10362/4206
Appears in Collections:FCT: DF - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Barros_2010.pdf1,69 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Feedback
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia