DSpace UNL

RUN >
Instituto de Higiene e Medicina Tropical (IHMT) >
IHMT - Unidades de Ensino e Investigação >
IHMT: Parasitologia Médica >
IHMT: PM - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/4068

Título: Bioecologia e caracterização molecular de Bulinus globosus de Angola
Autor: Velez, Ângela
Orientador: Grácio, Maria Amélia
Issue Date: 2010
Editora: Instituto de Higiene e Medicina Tropical, Universidade Nova de Lisboa
Resumo: Bulinus globosus, hospedeiro intermediário do Schistosoma haematobium, foi o objecto deste estudo, procedendo-se ao seu estudo bioecológico e à sua caracterização molecular. Para tal, foi realizado um levantamento malacológico desta espécie em diferentes colecções de água doce, na Província do Bengo, em Angola. Neste trabalho são considerados, em primeiro lugar, como introdução, embora muito sumariamente, alguns aspectos geográficos da província do Bengo, que possam ter relação com a vida dos moluscos, seguidamente apresenta-se um estudo de conjunto, tendo em conta a morfologia e sistemática das espécies encontradas, mas também a sua biologia e ecologia. Aborda-se resumidamente, a schistosomose, a sua prevalência no Mundo e distribuição geográfica, o ciclo de vida do parasita e faz-se uma pequena descrição dos métodos moleculares empregues neste trabalho. Depois de enumerados todos os objectivos do presente estudo, seguem-se os materiais e métodos, onde é feita uma descrição sobre todo o trabalho de campo realizado na Província do Bengo e também do estudo molecular realizado nos Bulinus globosus colhidos em quatro áreas distintas. Nos trabalhos laboratoriais foi aplicada a técnica de PCRRFLP com adição das enzimas de restrição Msp1 e RsaI e feito um estudo biométrico. Posteriormente, são apresentados os resultados não só relativamente à ecologia de Bulinus globosus colhidos, como também à caracterização das colecções de água. v Para a sequenciação das amostras foi amplificada a região ITS usando os “primers” ETTS 1 e ETTS 2. A aplicação da enzima de restrição RsaI, apresentou como resultado polimorfismos que variaram entre os 600 p.b. e 100 p.b, enquanto que no caso da enzima de restrição Msp1 obtiveram-se polimorfismos entre os 700 p.b. e 100 p.b. Assim verificou-se a presença de polimorfismos genéticos intra-específicos para os diferentes habitats. Quanto à sequenciação das amostras, quando comparadas, as lagoas do Ibêndua e do Sungue evidenciam diferentes polimorfismos, podendo dizer-se que talvez os moluscos existentes nestas duas lagoas estejam sujeitos a uma pressão selectiva. Para a sequenciação das amostras foi amplificada a região ITS usando os primers ETTS 1 e ETTS 2. Aplicando-se as enzimas de restrição, obteve-se, relativamente à enzima de restrição RsaI, polimorfismos que variaram entre os 600 p.b. e 100 p.b., enquanto que no caso da enzima de restrição Msp1 obtiveram-se polimorfismos entre os 700 p.b. e 100 p.b. Assim verificou-se a presença de polimorfismos genéticos intra-específicos para os diferentes habitats. Quanto à sequenciação das amostras, quando comparadas, as lagoas do Ibêndua e do Sungue evidenciam diferentes polimorfismos, podendo dizer-se que talvez os moluscos existentes nestas duas lagoas estejam sujeitos a uma pressão selectiva.
Descrição: Parasitologia médica
URI: http://hdl.handle.net/10362/4068
Appears in Collections:IHMT: PM - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
M-ÂngelaVelez.pdf13,76 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Feedback
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE