DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT) >
FCT Departamentos >
FCT: Departamento de Ciência dos Materiais >
FCT: DCM - Teses de Doutoramento >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/3953

Título: Valorização de fosfogesso - contributo para a mineralização do clínquer
Autor: Braz, Lara Filipa Carvalho
Orientador: Nunes, Ângela
Lima, Maria
Vermelhudo, Vitor
Monteiro, Regina
Issue Date: 2009
Editora: Faculdade de Ciências e Tecnologia
Resumo: O fosfogesso (FG) é um resíduo poluente, resultante da produção de ácido fosfórico na indústria de fertilizantes fosfatados. Em todo o mundo, geram-se cerca de 180 milhões de toneladas por ano o que origina problemas de armazenagem. Tendo em conta as restrições ambientais e os elevados custos dos espaços de armazenagem, têm vindo a ser desenvolvidos estudos que visam encontrar aplicações para este resíduo. Uma dessas aplicações é a utilização do fosfogesso (FG) como “matéria-prima” na produção de clínquer de cimento Portland. Este resíduo, por possuir na sua constituição sulfatos, fosfatos e fluoretos, actua como mineralizador, acelerando as reacções, e promovendo a formação de silicato tricálcico (C3S), e baixando a sua estabilidade a temperaturas inferiores a 1250ºC. Tendo como base esta aplicação, o objectivo deste trabalho é avaliar a influência da quantidade de fosfogesso na diminuição da temperatura de clinquerização e nas propriedades físicas, químicas e mecânicas dos cimentos resultantes. O resíduo (fosfogesso - FG) e as matérias-primas (calcário, marga, areia e granalha) foram caracterizados química, mineralógica e termicamente pelas técnicas de fluorescência de raios-X (FRX), difracção de raios-X (DRX), análise térmica diferencial e análise termogravimétrica (DTA\TG) respectivamente. Após moagem o fosfogesso foi misturado com as outras matérias, em dosagens de 0, 2, 5 e 10%, em peso. Para se ter estudar o efeito do resíduo na perda de massa (PM) e na temperatura das principais reacções de decomposição e sinterização, as misturas, também designadas por crús, foram caracterizadas termicamente pela metodologia anteriormente referida. Foram preparados dois grupos de crús com 0, 2, 5 e 10% de fosfogesso e cada um deles foi submetido a um tipo de cozedura. Um grupo foi submetido a uma cozedura a 1500ºC sem tempo de patamar e outro foi cozido a 1350ºC durante 20 minutos. Depois de cozidos, os clínqueres foram analisados microscopicamente, moídos e caracterizados quimicamente por fluorescência de raio-X (FRX) e mineralogicamente por difracção de raio-X (DRX). Por fim, os clínqueres foram usados para fazer argamassas (sem adição de gesso) na proporção de 1:3:½ de clinquer, areia e água, segundo a norma NP EN 196-1. Os provetes resultantes foram ensaiados mecanicamente a 2 e 28 dias segundo a mesma norma. Os resultados obtidos mostram uma diminuição máxima de cerca de 140ºC na temperatura de clinquerização quando se utiliza crú com 5% de fosfogesso (C5) e ainda uma diminuição de cerca de 2% de perda de massa (PM) no crú com 10% de fosfogesso (F10). O clínquer padrão, sem adição de fosfogesso cozido a 1500ºC, que simula o clinquer produzido na fábrica, originou provetes com resistência à compressão a 28 dias de 48,1.MPa. Os provetes produzidos com clínquer com 5 % de fosfogesso apresentam o maior valor de resistência à compressão a 28 dias tendo-se obtido 55,1MPa para clínqueres produzidos a 1500ºC e 49,4 MPa para clínqueres produzidos a 1350ºC. A adição de 5% de fosfogesso reduz em 150ºC a temperatura de cozedura e promove bons resultados em termos mecâncios.
Descrição: Dissertação apresentada na Faculdade de Ciência e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa para obtenção do Grau de Mestre em Engenharia de Materiais
URI: http://hdl.handle.net/10362/3953
Appears in Collections:FCT: DCM - Teses de Doutoramento

Files in This Item:

There are no files associated with this item.

Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Feedback
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE