DSpace UNL

RUN >
Instituto Superior de Estatística e Gestão de Informação (ISEGI) >
ISEGI - Dissertações de Mestrado em Estatística e Gestão da Informação >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/3423

Título: Determinantes do estado de saúde dos Portugueses
Autor: Oliveira, Daniela Gonçalves Félix de
Orientador: Martins, Maria do Rosário Fraga de Oliveira
Rodrigues, Teresa
Palavras-chave: Estado de saúde
Indicadores socio-económicos
Sexo
Modelo Logit
Modelo estereótipo
Health perception
Socioeconomic status
Gender
Logit Model
Stereotype ordinal regression
Issue Date: 22-Mar-2010
Relatório da Série N.º: Mestrado em Estatística e Gestão de Informação;TEGI0251
Resumo: O objectivo da dissertação consistiu em identificar factores determinantes que levam a população portuguesa a declarar estados de saúde débeis. Pretendemos avaliar o efeito de indicadores socio-demográfico, socio-económicos e gerais de saúde na percepção do estado de saúde do indivíduo. Para tal, utilizámos os dados gerados pelo 4º Inquérito Nacional de Saúde, conduzido pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge e pelo Instituto Nacional de Estatística, com a colaboração da Direcção-Geral da Saúde. Verificámos que, entre os diversos autores, a dicotomização da variável em estudo, o estado de saúde subjectivo, não é consensual. Vários estudos apresentam recodificações distintas, agrupando diferentemente as categorias de resposta da variável em análise. Utilizando uma especificação baseada no modelo logit, concluímos que diferentes agregações proporcionam diferentes resultados, pelo que é necessária prudência na agregação da variável estado de saúde subjectivo. Neste sentido, optámos por estimar o modelo estereótipo, um modelo de variável dependente ordenada, adequado quando a variável de interesse é ordinal e originária de uma variável ordinal. Tal como esperado, o sexo é uma variável diferenciadora. Isto é, verifica-se, por vezes, que os factores determinantes do estado de saúde têm efeitos contrários para homens e mulheres. Além disso, os indicadores socio-económicos, não obstante da importância dos restantes, influenciam significativamente a percepção do estado de saúde da população, pelo que a promoção da saúde deve ser acompanhada de políticas de ordem socio-económicas.
Descrição: Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do grau de Mestre em Estatística e Gestão de Informação
URI: http://hdl.handle.net/10362/3423
Appears in Collections:ISEGI - Dissertações de Mestrado em Estatística e Gestão da Informação

Files in This Item:

File Description SizeFormat
TEGI0251.pdf470,94 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Feedback
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE