DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências Médicas (FCM) >
FCM Áreas de Ensino e Investigação >
FCM: Ciências Funcionais e Alvos Terapêuticos >
FCM: Fisiopatologia >
FCM: Fisiopatologia - Artigos em revista nacional com arbitragem científica >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/3331

Title: Repercussões da estase pulmonar sobre os volumes, capacidades e débitos ventilatórios
Authors: Carmo, Miguel Mota
Rendas, António Bensabat
Ferreira, Teresa
Lousada, Nuno
Bárbara, Cristina
Correia, J. Martins
Neves, Paulo Roxo
Keywords: Estase Pulmonar
Insuficiência Cardíca Esquerda
Estenose Mitral
Espirometria
Volumes e Capacidades Pulmonares
Issue Date: 1994
Publisher: Sociedade Portuguesa de Cardiologia
Abstract: Objectivo: Avaliar as repercussões da estase pulmonar sobre a função pulmonar. Concepção do estudo: Estudo prospectivo executado em doentes com falência ventricular esquerda ou estenose valvular mitral. Material e métodos: Estudaram-se 48 doentes internados por estase pulmonar resultante de falência ventricular esquerda ou barragem mitral. Todos os doentes foram submetidos durante o internamento a exame termodinâmico com catéter de Swan-Ganz e exame ecocardiográfico 48 horas antes das provas funcionais respiratórias,compostas por espirometria com débitos, volumes e capacidades pelo método da diluição de hélio, bem como caracterização da incapacidade funcional com o questionário do Medical Research Council e a classificação da NYHA. Correlacionaram-se os dados espirométricos com os dados clínicos. Resultados: Do ponto de vista cardiológico, os doentes apresentavam uma «pressão capilar pulmonar» média de 19,9 ± 8,6 mmHg, um índice cardíaco de 2,5±0,8 l/mln/m", uma dimensão telediastólica do ventrículo esquerdo de 65,9 ±10,1mm e uma telessistólica de 51,2 ± 12,2 mm com uma fracção de encurtamento de 21,8 ±9,5 %. Espirometricamente, apresentavam uma síndrome restritiva caracterizada por uma diminuição da capacidage pulmonar total de 71±14,4% do valor previsto (%vp), uma capacidade vital forçada de 69,8±20,5 % vp, um volume expiratório máximo no primeiro segundo de 64±21,8 %vp, com uma relação VEMS/CVF normal de 72,7±9,7%. Estes dados não se correlacionaram com os dados clínicos nem com os dados hemodinâmicos ou ecocardiográficos. Conclusão: Neste grupo de doentes, a estase pulmonar tem como consequência uma síndroma restritiva pulmonar, sendo a sua gravidade independente da duração da doença, do valor da «pressão capilar pulmonar» ou da função ventricular esquerda.
Description: Revista Portuguesa de Cardiologia, 1994, 13(10): 763-768.
URI: http://hdl.handle.net/10362/3331
ISSN: 0870-2551
Appears in Collections:FCM: Fisiopatologia - Artigos em revista nacional com arbitragem científica

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Rendas_1994_Repercussoes de estase pulmonar sobre volumes, capacidades e debitos ventilatorios.pdf250.96 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
View Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Statistics  - Feedback
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE