DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências Médicas (FCM) >
FCM Áreas de Ensino e Investigação >
FCM: Ciências Funcionais e Alvos Terapêuticos >
FCM: Fisiopatologia >
FCM: Fisiopatologia - Artigos em revista nacional com arbitragem científica >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/3330

Title: Função dos músculos respiratórios em doentes com insuficiência cardíaca esquerda
Authors: Carmo, Miguel Mota
Bárbara, Cristina
Ferreira, Teresa
Ferreira, Sara
Rendas, António Bensabat
Keywords: Insuficiência Cardíaca Esquerda
Músculos Respiratórios
Pressões Máximas Respiratórias
Pressões de Sniff
Pressão Transdiafragmática
Estimulação Magbética Cervical
Issue Date: 2001
Publisher: Sociedade Portuguesa de Cardiologia
Abstract: Objectivo: 0 objectivo deste trabalho foi : estudar a função dos músculos respiratórios em doentes com insuficiência cardíaca esquerda moderada (ICE), e o seu contributo para a génese do cansaço e da dispneia. Concepção do estudo:Estudo prospectivo comparativo entre doentes com ICE e normais. Doentes: Estudámos 10 doentes do sexo masculino, com insuficiência cardíaca esquerda (GI), classe II e III da NYHA, com idade média de 65.6±6.9 anos e 10 controles normais, sem patologia cardio-pulmonar (GII), com idade média de 64.5±4.9 anos. Material e métodos: Utilizános métodos dependentes da vontade com determinações das pressões máximas expiratórias (PME)ao nível da Capacidade Pulmonar Total e inspiratórias (PMI) ao nível da Capacidade Residual Funcional, das pressões através de sniff nasal ·(SNIFF-N) e da pressão de sniff esofágico (SNIFF-E). Determinámos igualmente as pressões transdiafragmáticss (TwPDI). Com os métodos independentes da vontade, utilizando a estimulação magnética cervical do frénico ao nível da CRF determinámos a pressão Twitch esofágica (TwPes), a Twitch gástrica (TwGas)e a Twitch transdiafragmática (TwPDI). Resultados: No que conceme às pressões dependentes da vontade não obtivemos diferenças significativas da PME (cmH2O): GI-136±38; GII-145.5±36.8; p=NS e da PMI (cmH2O):GI-73.720.7; GII 87.1±ll.7; p=NS; Estas foram no entanto inferiores às ohtidas através da técnica do sniff. Obtivemos uma pressão significativamente menor nos doentes com ICE do SNIFF-N (cmH20):GI-87±l0.7;GII-99,4±18.5;p<O,O4 não atingindo significância para 0 SNIFF-E (cmHzO): GI-88.9±11.5; GII-97.117.2; p<O,1; Utilizando a técnica não dependente da vontade, com estimulação magnética do frénico não encontrámos diferenças na pressão transdiafragmática TwPDI(cmH20): GI19.9±4.42; GII-24.2±8.9; p=NS, mas a comparticipação do diafragma para essa mesma pressão foi significativamente menor nos doentes com ICE, uma vez que se registou uma diferença no TwPes (cmHzO): GI-1O,6±2.4; GII-l5.6±5.8;p<O,01; Não se registaram diferenças entre o SNIFF nasal e esofágico. Conclusões: A comparticipação do diafragma para a ventilação total e normal nos doentes com ICE moderada,uma vez que não há diferenças na pressão transdiafragmática. Contudo, a sua comparticipação para gerar pressões negativas intra-torácicas é menor uma vez que há uma diminuição significativa do TwPes e do SNIFF-N. 0 diafragma parece pois,ser o prineiro músculo inspiratório a ser afectado na ICE moderada, uma vez que a função total dos músculos inspiratórios está conservada visto não haver diferenças nas PMI e PME.
Description: Revista Portuguesa de Cardiologia, 2001; 20 (5):533-545
URI: http://hdl.handle.net/10362/3330
ISSN: 0870-2551
Appears in Collections:FCM: Fisiopatologia - Artigos em revista nacional com arbitragem científica

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Rendas_2001_Funcao dos musculos respiratorios em doentes com insuficiencia cardiaca esquerda.pdf1.75 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
View Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Statistics  - Feedback
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE