DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT) >
FCT Departamentos >
FCT: Departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente >
FCT: DCEA - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/2387

Title: Gestão de veículos em fim de vida: do contexto internacional à realidade portuguesa
Authors: Rosa, João Filipe Caetano
Advisor: Santos, Rui
Issue Date: 2009
Publisher: FCT - UNL
Abstract: Neste trabalho estuda-se a forma como a gestão do final de vida dos veículos é abordada no contexto internacional e numa realidade mais específica como é a portuguesa. Pretende-se analisar as consequências que a regulação, e especificamente a aplicação da Responsabilidade Alargada do Produtor, tem na gestão deste tipo de resíduos. A compreensão do modo como internacionalmente se encara o problema do tratamento e valorização dos Veículos em Fim de Vida é também apontado como objectivo. Em relação ao contexto português, pretende-se estudar as suas principais características e, através dos conhecimentos adquiridos na análise internacional, incrementar o seu desempenho. O estudo analisou a União Europeia e o Japão, por serem regiões nas quais a gestão de Veículos em Fim de Vida foi alvo de regulação, e os Estados Unidos da América, onde as leis de mercado são o único factor a influenciar esta actividade. Constatou-se que o principal problema na valorização dos Veículos em Fim de Vida é o processamento da fracção composta por resíduos de fragmentação, constituindo aproximadamente 20 a 25% da massa total da viatura. O programa japonês é o mais eficaz não só no incentivo à inovação e ao design para final de vida como também à prevenção e redução de resíduos. Na União Europeia existem maiores dificuldades em promover estas práticas, sendo os Estados Unidos a região onde se verificam menos incentivos. Verificou-se também que a responsabilização do produtor garante o tratamento e a valorização deste tipo de resíduos, permitindo que o eco-design e design para o final de vida sejam estimulados. A responsabilização financeira do produtor é um factor determinante para que se observe o estímulo a estas práticas. No que diz respeito a Portugal, verificou-se que o sistema que financia a gestão de Veículos em Fim de Vida estimula de forma deficiente a prevenção e as práticas de design para final de vida. A presença de operadores ilegais e a falta de competição são também apontados como principais ameaças à viabilidade do programa. Para melhorar o seu desempenho propôs-se a responsabilização financeira dos produtores apenas para a fracção do veículo com maior dificuldade em ser valorizada; a diferenciação da prestação paga pelos produtores pela gestão dos seus veículos; o alargamento às outras categorias das medidas aplicadas às três classes focadas pela Directiva 2000/53/CE e a criação de uma ou mais entidades que façam a gestão deste tipo de resíduos.
Description: Dissertação apresentada para a obtenção do grau de Mestre em Engenharia Ambiente, pela Universidade Nova de Lisboa, Faculdade de Ciências e tecnologia
URI: http://hdl.handle.net/10362/2387
Appears in Collections:FCT: DCEA - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Rosa_2009.pdf1.77 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
View Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Statistics  - Feedback
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE