DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT) >
FCT Departamentos >
FCT: Departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente >
FCT: DCEA - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/2378

Title: Estudo dos efeitos da irradiação ultra-sónica na inibição do crescimento de cianobactérias do género Microcytis spp
Authors: Claro, Ana Catarina Bernardino
Advisor: Santos, Maria
Issue Date: 2009
Publisher: FCT - UNL
Abstract: A gestão e as estratégias envolvidas no controlo de bloomsde cianobactérias têm evidenciado pouco sucesso, por ter efeitos transitórios ou traduzir-se numa poluição secundária. Na sequência da necessidade emergente de métodos alternativos, a tecnologia ultra-sónica surge como um novo método para o rápido controlo e prevenção de blooms de cianobactérias em águas eutrofizadas. No contexto da inibição do crescimento de cianobactérias através da irradiação ultra-sónica, a presente dissertação incidiu no estudo dos efeitos da aplicação dos ultra-sons sobre o crescimento do género Microcystis spp., em cultura mista. O sistema de ultra-sons utilizado consistiu num banho de ultra-sons de potência 500 W, com duas frequências possíveis (35 KHz e 130 KHz) e diferentes amplitudes (20% a 100%). Os resultados experimentais relativos ao crescimento das cianobactérias revelaram que cinco minutos de irradiação ultra-sónica inibem efectivamente a proliferação de cianobactérias, na ordem dos 75% a 85%. A associação da menor frequência (35 KHz) com a maior amplitude (100%) originou a supressão mais acentuada do crescimento da Microcystis spp.. Por outro lado, a combinação da frequência e amplitude mais elevadas revelou a menor inibição da densidade celular. A determinação complementar da clorofila a e a avaliação morfológica, imediatamente após a sonicação, permitiram de certo modo confirmar os efeitos inibitórios induzidos pelos ultra-sons no género Microcystis spp., nomeadamente o colapso dos vacúolos gasosos e a ruptura das células. Aumentos pontuais de oxigénio dissolvido e pH foram verificados após a irradiação ultra-sónica. Estes resultados sugeriram que a peroxidação lipídica, resultante de reacções secundárias de radicais livres produzidos durante a cavitação ultra-sónica, pouca ou nenhuma influência exerceu sobre a integridade das células das cianobactérias. Foi também considerada a possibilidade da irradiação ultra-sónica induzir aumentos de microcistinas dissolvidas, em consequência da ruptura das células, e a potencial capacidade de degradação dessas toxinas. Concluiu-se que cinco minutos de irradiação ultra-sónica, associada a elevadas frequências e amplitudes (130 KHz e 100%), não provocam um aumento significativo de microcistinas dissolvidas(5%) e promovem uma eventual degradação das microcistinas presentes na fase solúvel, de cerca de 30%. A avaliação da variação das concentrações de microcistinas permitiu ainda reforçar que a ruptura das células e o colapso dos vacúolos gasosos constituíram os principais mecanismos inibitórios incitados pela irradiação ultra-sónica.
Description: Dissertação apresentada na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa para a obtenção do grau de Mestre em Engenharia do Ambiente,Perfil Engenharia Sanitária
URI: http://hdl.handle.net/10362/2378
Appears in Collections:FCT: DCEA - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Claro_2009.pdf2.34 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
View Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Statistics  - Feedback
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE