DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT) >
FCT Departamentos >
FCT: Departamento de Física >
FCT: DF - Dissertações de Mestrado >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/1948

Title: O ensino da Física em Portugal na sequência da reforma de 1947
Authors: Silva, Filipa Alexandra Guimarães Godinho
Advisor: Teodoro, Vítor
Carneiro, Ana
Issue Date: 2008
Publisher: FCT - UNL
Abstract: O presente trabalho tem por tema o ensino da Física em Portugal na sequência da reforma de 1947, através da análise da legislação em vigor, do livro único da disciplina para os cursos geral e complementar, do guia de trabalhos práticos do curso complementar, e dos relatórios dos professores para a Inspecção do Ensino Liceal. O período em estudo engloba o final do Estado Novo. A visão dominante do ensino era, no essencial, uma visão elitista, com práticas educativas autoritárias, promovendo uma ideologia nacionalista e fechada ao mundo e à cultura científica e tecnológica. Apesar das condições sociais e políticas da época, ocorreram algumas alterações significativas na estrutura do ensino liceal, e, em particular, no ensino da Física, que passou a ter trabalhos experimentais de carácter obrigatório, avaliados em exame prático final. A análise da legislação, dos programas e dos manuais revelou que o tratamento dado aos diversos assuntos é essencialmente descritivo; a linguagem utilizada é adaptada à faixa etária dos alunos, apesar de, por vezes, o conhecimento ser veiculado de forma confusa ou incompleta; as actividades experimentais são apresentadas de modo descritivo, informativo e não investigativo; finalmente, a História da Física é entendida como uma sequência de feitos de homens geniais. No curso complementar, remete-se as experiências para as aulas de Trabalhos Práticos, que se revelam importantes por permitirem aos alunos a execução das experiências, o desenvolvimento de espírito crítico, de observação e de iniciativa. Da análise dos relatórios dos professores verifica-se que, no curso geral, é aplicado o método indutivo e no complementar o expositivo. Os programas são considerados extensos e de difícil cumprimento. A dimensão das turmas, as restrições de material, a extensão e vastidão dos programas, contribuem para que o ensino seja repetitivo, livresco e considerado difícil, pelos alunos. Numa época em que ocorrem importantes mudanças sociais, o ensino da Física mantém, sensivelmente, as mesmas características e os mesmos conteúdos. Exceptuando a introdução de Trabalhos Práticos, não ocorreu qualquer evolução significativa nas metodologias aplicadas em sala de aula o que é consonante com as imposições de um regime autoritário que pretende que a sociedade portuguesa se mantenha fechada à inovação científica, tecnológica e didáctica
Description: Dissertação apresentada na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa para obtenção do grau de Mestre em Física Laboratorial, Ensino e História da Física
URI: http://hdl.handle.net/10362/1948
Appears in Collections:FCT: DF - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Silva_2008.pdf935.2 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
View Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Statistics  - Feedback
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE