DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT) >
FCT Departamentos >
FCT: Departamento de Ciências e Tecnologia da Biomassa (ex-GDEH) >
FCT: DCTB - Teses de Doutoramento >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/1903

Title: Caracterização da resistência à antracnose dos frutos verdes do cafeeiro
Authors: Loureiro, Andreia Sofia Brotas da Costa
Advisor: Lidon, Fernando
Silva, Maria do Céu
Várzea, Vítor
Issue Date: 2008
Publisher: FCT - UNL
Abstract: Uma das maiores ameaças à produção de Coffea arabica em África é a antracnose dos frutos verdes do cafeeiro, causada pelo fungo Colletotrichum kahawae JM Waller & PD Bridge. As perdas de produção podem atingir 50-80% se não forem aplicadas medidas de controlo. Com vista à caracterização da variabilidade do fungo, efectuaram-se estudos morfoculturais, patogénicos, bioquímicos e moleculares. Morfoculturalmente, os isolados de Colletotrichum revelaram diferenças na taxa de crescimento e de esporulação quando incubados a diferentes temperaturas. Os testes de patogenicidade revelaram que a temperatura de incubação dos isolados interage com a sua capacidade de infectar hipocótilos e frutos verdes. Assim, isolados crescidos a 10ºC e 15ºC foram mais agressivos do que isolados crescidos a temperaturas mais altas. Noutros testes, verificou-se que a diminuição da agressividade, em isolados mais antigos, pode ser recuperada após algumas re-inoculações em frutos verdes destacados. A caracterização isoenzimática, baseada na análise da actividade da esterase, fosfatase ácida e alcalina, peroxidase, dismutase do superóxido e desidrogenase do malato, permitiu a detecção de polimorfismo entre os isolados estudados. A isoenzima fosfatase alcalina foi a que se revelou mais eficaz na separação dos isolados de C. kahawae estudados. Ao nível molecular, verificou-se a grande semelhança entre os isolados de C. kahawae e a sua estreita relação com a espécie C. gloeosporioides. Para caracterizar a expressão da resistência em hipocótilos de cafeeiro com diferentes níveis de resistência ao C. kahawae, estudou-se o crescimento do fungo assim como as rápidas respostas por ele induzidas nas células das plantas, através da microscopia óptica e electrónica de transmissão. A penetração do fungo nos tecidos do hospedeiro ocorreu a partir de apressórios melanizados, directamente através da parede celular da epiderme, com a formação de uma vesícula de infecção que apresenta posterior ramificação intra e intercelular. Nas plantas susceptíveis, após um breve período de biotrofia, seguiu-se o crescimento necrotrófico do fungo que culminou com a produção de sintomas (lesões escuras em depressão) e esporulação. Na fase necrotrófica, a colonização das células hospedeiras pelo fungo esteve associada à degradação das paredes celulares e à morte das células do hospedeiro. Os genótipos resistentes caracterizaram-se por um crescimento restrito do fungo, associado à reacção de hipersensibilidade, modificações nas paredes celulares (espessamento e autofluorescência) e rápida acumulação de compostos fenólicos, nomeadamente derivados do ácido hidroxicinâmico e flavonóides.
Description: Dissertação apresentada para obtenção do Grau de Doutor em Biologia, especialidade Biologia Vegetal,pela Universidade Nova de Lisboa, Faculdade de Ciências e Tecnologia
URI: http://hdl.handle.net/10362/1903
Appears in Collections:FCT: DCTB - Teses de Doutoramento

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Loureiro_2008.pdf6.18 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
View Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Statistics  - Feedback
Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência   Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE