DSpace UNL

RUN >
Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT) >
FCT Departamentos >
FCT: Departamento de Ciências da Terra >
FCT: DCT - Teses de Doutoramento >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10362/1865

Título: Biostratigrafia de Foraminíferos do Miocénico em Portugal
Autor: Legoinha, P.
Orientador: Telles Antunes, Miguel
Issue Date: 2001
Editora: Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa
Resumo: Apresenta-se um estudo de foraminíferos do Miocénico português. Foram observados pormenorizadamente uma trintena de afloramentos na Bacia do Baixo Tejo e no Algarve, sendo 22 considerados nesta dissertação. Foram colhidas e tratadas perto de 200 amostras; cerca de 130 revelaram-se produtivas. Triaram-se e classificaram-se foraminíferos planctónicos (cerca de 50 espécies) e bentónicos (53 géneros). Referem-se os métodos e técnicas, assim como os investigadores e publicações relacionados com o estudo deste grupo em Portugal. Pesquisou-se informação cronológica relativa a 20 marcadores biostratigráficos identificados no Miocénico português. Indica-se a composição de faunas de foraminíferos bentónicos de ambientes actuais (mangais e pântanos litorais, lagunares, litorais, infralitorais, circalitorais, batiais e euxínicos). Apresentam-se o enquadramento geológico e uma resenha bibliográfica concernentes à estratigrafia e paleontologia do Miocénico da Bacia do Baixo Tejo (região vestibular) e do Algarve. Para cada um dos 22 cortes tratados são apresentados: localização, descrição e/ou enquadramento geológico, foraminíferos planctónicos e bentónicos, interpretação biostratigráfica e paleoambiental, e datações isotópicas. Aplicam-se conceitos de estratigrafia sequencial; retoma-se o problema da definição e caracterização de sequências deposicionais na Bacia do Baixo Tejoe datamse os respectivos limites (disconformidades). Estabelece-se correspondência com ciclos eustáticos de 3a ordem (Haq et ai., 1987). Analisam-se a variação da subsidência e o controlo tectónico. As jazidas de mamíferos da BBT foram enquadradas na escala cronológica marinha através de correlações directas com marcadores planctónicos e datações isotópicas. Relativamente ao Algarve, melhora-se o posicionamento cronostratigráfico dos sedimentos de Albardeira, Mem Moniz, Quelfes e Cacela (Formação de Cacela) bem como da Formação Carbonatada de Lagos-Portimão. Compara-se o Miocénico do Algarve com o do Baixo Tejo e estabelece-se equivalência entre algumas descontinuidades principais. Foram elaborados quadros-síntese com a ocorrência das espécies planctónicas e dos géneros bentónicos nos afloramentos estudados. As características distintivas dos géneros e espécies planctónicas são descritas no capítulo dedicado à sistemática dos foraminíferos. Apresentam-se conclusões. Incluem-se estampas com fotografias de foraminíferos e aspectos dos cortes estudados.
Descrição: Dissertação apresentada para obtenção do Grau de Doutor em Geologia, especialidade de Estratigrafia e Paleobiologia
URI: http://hdl.handle.net/10362/1865
Appears in Collections:FCT: DCT - Teses de Doutoramento

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Legoinha_2001.pdf22,15 MBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Universidade Nova de Lisboa  - Feedback
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia